desta vez, o que eu perdi





Falo muitas vezes das coisas boas que tenho por trabalhar em casa e muitos de vocês devem achar que o que ganhei foi só mesmo isso, coisas boas. Outros acharão que sou uma gabarolas e que isto nem deve estar a correr assim tão bem.
Como de facto nem tudo são coisas boas, e como geralmente só se falam dessas, resolvi escrever sobre aquilo que perdi para ganhar aquilo que hoje tenho.

Depois de ter deixado o emprego que tinha em 2011, e de o ter decidido fazer por achar que se a coragem não estivesse comigo naquela altura nunca mais estaria, tinha algum dinheiro de parte que me permitiu continuar a viver no Porto até encontrar outro emprego.
Lembro-me da minha mãe me ensinar que se tens 10 no bolso gastas 5, e a verdade é que comecei a fazer mais ou menos isto quando comecei a trabalhar e foi uma ajuda.  Nos primeiros meses, depois de largado o emprego, vivi à conta das poupanças que tinha feito, pagava renda e contas e o resto era tudo muito controlado, e posso dizer que foi assim desde o final de 2011 até ao final de 2012.
Comecei com o Beija-flor, que em termos financeiros era um part time, depois a Maçã de Adão que já foi mais uma ajuda, e de vez em quando um trabalho ou outro de design. Mais tarde ainda surgiu o We Blog You. Mas se havia meses bons, havia outros que não eram assim tanto e tive de recorrer ao meu "pé de meia" muitas vezes. Ganhar um ordenado mínimo era uma alegria, por isso já podem ver mais ou menos como era o estado dos meus rendimentos nos restantes meses. Mas, apesar de tudo isto, percebi que valia a pena o esforço, que enquanto esta situação continuasse a melhorar, ainda que fosse pouco, era motivo para investir mais. Passei alguns meses estagnada, mas acreditava que era isto que queria fazer e que o tempo que estava a investir era isso mesmo, um investimento. Ganhava, gastava o necessário e se havia a mais metia de lado.

Como tenho muito medo de perder o controlo das coisas, ficar sem nada e ter de voltar para a casa da mãe (essa coisa segura pelo menos tenho), tive sempre a preocupação de ir mantendo o dinheiro que tinha de lado lá mesmo, de lado. Quando ganhava mais, em vez de ir passar umas férias que também merecia, voltava a meter o dinheiro quietinho para o caso de surgir alguma emergência ou falta de sorte. Li uma vez num artigo que quem trabalha por conta própria deve ter de lado 6 vezes o valor que precisa para viver num mês, e a verdade é que ter pelo menos essa margem deixa-me mais calma e menos assustada com isto da instabilidade (se as senhoras disseram é porque é verdade!). Muitas vezes até fazemos muito trabalho mas que  é pago meses depois de o termos começado e, se não há nada de lado não temos como pagar as contas que chegam certinhas todos os meses.

Deixei de ter dinheiro para férias, festivais de verão, compras, saídas despreocupadas. Não tenho carro nem tenciono ter tão cedo, tenho um mac com 7 anos e a arrastar-se um bocado e tenho uma coisa que tira fotografias com mais anos do que o mac e que não vale muito.
Adoro promoções, quando a comida do gato está barata compro imensa de cada vez, isso e garrafas de azeite. Desde janeiro prometi a mim mesma que não ia comprar roupa até ao fim deste ano, para não desperdiçar. Como trabalho montes de tempo em casa acredito que a roupa que ali tenho é mais do que suficiente e em vez de perder tempo a passear em lojas tenho feito outras coisas que no final de contas me deixam mais feliz.

Afinal isto não é assim tão giro, pois não? :p

Para não acabarmos isto de forma deprimente posso dizer-vos que 2013 está a ser simpático comigo, há mais trabalho e as coisas melhoraram muito relativamente ao ano passado. Se antes só podia gastar dinheiro em coisas essenciais como água, luz, alimentação e renda, hoje posso comprar cortinas e almofadas novas cá para casa (vejam lá o luxo), este ano provavelmente poderei tirar férias e comprar mais umas quantas coisas que me dão jeito e que quero muito, como uma câmera para tirar fotografias decentes :)


4 comentários:

  1. O teu esforço e a tua perseverança vão ser compensados, tenho a certeza. És um excelente exemplo a seguir. Formiguinha trabalhadora! <3

    ResponderEliminar
  2. Raquel, thanks, precisava de ler algo do género ;-)

    ResponderEliminar
  3. obrigada a todas pelas mensagens :)

    Joana, fico feliz por ter sido eu a proporcionar a leitura do dia :p muitos beijinhos*

    ResponderEliminar