Desistir (não) é uma coisa feia


Custa, pensamos e repensamos em formas de não desistir de nada e continuar o caminho, com tudo aquilo que escolhemos para fazer parte das nossas vidas, e vamos fazendo as coisas todas, por vezes menos bem e de forma mais apressada, mas sem nunca desistir. Somos educados a pensar que desistir não é uma coisa boa e que por isso deve ser sempre a nossa última hipótese depois de terem vindo todos os esforços para travar tal desgraça.
Agora vi-me a desistir de mais uma coisa, que foi importante para mim, e daí veio toda esta reflexão acerca do assunto.

Já desisti de muita coisa. Desisti da natação, do ginásio, do basket, do yoga, desisti do primeiro agrupamento que escolhi na escola, desisti do meu blog, desisti das aulas de materiais na universidade, desisti de algumas amizades, desisti de viver em barcelona e desisti do meu primeiro emprego como designer, só para enumerar algumas.
A verdade é que sempre me perseguiu esta coisa de que desisto facilmente das coisas apesar de não ser regra. Deveria ter desistido do meu primeiro namorado lá muito para trás e não o fiz, mas isto é só azar ou burrice para alguém que tem tanta facilidade em desistir.

Por causa desta minha habilidade para a desistência os nomes que dou às coisas tendem a mostrar a minha vontade para que durem por muito tempo!
“Maisde365@gmail.com” é o nome que dei ao meu e-mail, isto porque o criei quando fiz o meu primeiro portfolio e queria por tudo que o design fosse uma coisa que eu fizesse mais do que durante 365 dias, que era a duração que tinham todas as outras coisas antes de terminarem.“Prometo que não te mato outra vez”, o nome deste blog, dado depois de o ter assassinado em mais um dos meus ataques de desistência.

Vão fazer quase 2 anos que estou por minha conta  e risco, e foram algumas as coisas que fui fazendo para ocupar o meu tempo e pagar as minhas contas. O Beija-flor nasceu, a Maçã de Adão também, e o We Blog You foi o terceiro dos 3 filhos. Enquanto geria tudo isto ainda fazia outros trabalhos de design.
Para mim é mesmo muito importante fazer as coisas com calma, com pressas só em dia de entregas, e com tempo de sobra para perder no processo de trabalho, em pesquisas e comigo! Gosto de ter tempo para mim, de poder dormir bem, de poder passear e de poder fazer outras coisas como tratar das plantas, ler e dar mimos ao gato. Com tanta coisa em mãos, claro que iria chegar o dia em que ou tudo terminava e corria mal, ou um deles exigia mais de mim ao ponto de eu ter de abdicar de outros, e esse dia chegou.

Como às nossas raízes não podemos fugir e como parece que o design vai durar mais do que apenas 365 dias por ano, tive de tomar a difícil decisão de abandonar um projecto que me fez muito bem e que me deu oportunidade de fazer coisas giras que nunca pensei poder fazer, a Maçã de Adão. Arrastar quase 4000 pessoas para uma página, onde tudo o que lá havia eram coisas feitas à mão por mim e pela Diana, foi um orgulho e deixou-me muito mas muito feliz.

Felizmente, o design gráfico vai ocupando cada vez mais espaço na minha agenda e, como isso envolve muita dedicação, muito trabalho e cada vez mais estudo e tempo para ele, foi preciso deixar de lado um projecto e deixá-lo viver ainda que sem a minha participação.
Vou encarar esta desistência como uma prova do meu profissionalismo (para não desatar a chamar-me de estúpida para cima), e como um acto de coragem. Toda a gente sabe que abdicar de alguma coisa é difícil, adivinhar o sucesso dessa mesma coisa sem a nossa presença não é fácil, e por isso mesmo é preciso pensar muito e acima de tudo sermos honestos connosco. A Maçã de Adão vai continuar pelas mãozinhas da Diana que é aquela que vive e respira estas coisas. Eu era de facto uma óptima costureira, de vez em quando também tinha umas idéias decentes, mas o meu peixe é outro e a minha vontade de lhe dedicar mais tempo e de ser cada vez melhor é muita.

O lado bom foi ter tido a certeza absoluta, depois de 5 anos da licenciatura terminada e de algumas dúvidas, de que não me vejo a fazer outra coisa na vida e que sou designer de coração. Quero aprender cada vez mais, quero trabalhar mais com papeis, letras e desenhos, e quero dedicar-me a 100%  aos trabalhos que me vão passando por confiarem em mim.
 Dito isto, que venham trabalhos diferentes e bons porque eu aborreço-me com facilidade apesar de andar nisto há uns anitos.

Que a Maçã de Adão tenha muito sucesso e que os dois sócios que deixei sejam muito felizes com ela.

14 comentários:

  1. Tenho pena pela Maçã, mas sei que vais ser muito muito feliz com o design que gostas e escolheste (e és mesmo boa)**

    ResponderEliminar
  2. estas coisas são difíceis, e por isso mesmo espero que o que dizes venha mesmo a ser verdade! *** ♥:) obrigada!

    ResponderEliminar
  3. é mesmo um acto de coragem, nunca duvides! pelo meu lado só tenho pena que as lindas maçãs já não tenham o teu dedinho. mas o meu lado egoísta suspirou de alívio por afinal não ter terminado o projecto :P

    vai correr bem, como tudo o que te vi fazer!

    ResponderEliminar
  4. A vida é feita de escolhas. Tenho a certeza que foi a certa!

    Vai correr tudo bem.

    ResponderEliminar
  5. Nem todos são capazes de parar (ou desistir) no momento certo.

    Mais uma vez, parabéns Raquel.

    Surpreendes-me sempre pela positiva.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. excelente texto!
    Os verdadeiros actos de coragem e sabedoria estão no DECIDIR que opções escolhemos para sermos "felizes e realizados"!

    Parabéns Raquel!

    ResponderEliminar
  7. Muito, mas mesmo muito, obrigada pelas vossas palavras e por se terem dado ao trabalho de me terem dito qualquer coisinha.
    Fez-me mesmo bem.

    Montes de beijinhos e de coisas boas para vocês também :)

    ResponderEliminar
  8. Raquel minha querida às vezes é difícil optar :) Mas a vida é feita de escolhas :) A maça fica bem entregue :) e tu força :)

    ResponderEliminar
  9. nunca desistas de ser Fazedora :) ** muitos beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Minha querida, tu não fazes projectos, toda tu és um projecto ;)
    Tenho a certeza que a Maçã vai continuar viva e de boa saúde, tu tens outras frutas para comer.

    E ah! Nunca achei que fosses uma pessoa que desiste facilmente, aliás, eu sei que não és uma pessoa que desiste facilmente. Ser assertivo e seguro é diferente de ser desistente, para mim és assertiva e segura <3

    ResponderEliminar
  11. sim, as maçãs estão muito bem entregues, disso não tenho a menor dúvida!

    e ler estas coisas só me faz bem e pensar ainda com mais força que fiz o que estava certo :)

    obrigada mesmo, mil beijinhos, e um ali especial no meu sócio do coração (Fred, as tuas palavrinhas ficaram mesmo aqui <3)

    ResponderEliminar
  12. Estás a adaptar-te Raquel! Tu dizes desistir e eu penso que estás a evoluir, deste o teu contributo, deixaste a tua marca e agora é hora de seguir o teu caminho, aquele que o teu coração reconhece como tal.
    Beijos, saudades.

    ResponderEliminar
  13. Apesar de ter lido o post com certo “atraso”, venho, assim mesmo, comentá-lo.
    Em primeiro lugar, por compartilhar da ideia de que a “desistência” é um ato, acima de tudo, de coragem. Refletir profundamente sobre a vida, encher os pulmões de ar e decidir recomeçar pode ser bem menos fácil que seguir num caminho que se supõe certo.
    E fico feliz com a sua afirmação enquanto designer. Já lhe disse mais de uma vez, mas me parece que a sua maior virtude (ao menos do que colhi dos nossos trabalhos) é de sempre estar no limite entre uma precisão técnica exigente e um resultado que faça sentido para algo que está para além da razão.
    Fico aqui torcendo para que os dias lhe sejam cada dia mais confortáveis, qualquer que seja a opção! :)

    ResponderEliminar