gato preto é sorte ♡







































Quando nos acontece qualquer coisa má temos sempre a tendência de pensar que só a nós nos acontecem coisas horríveis, que não temos mesmo sorte nenhuma, que a vida é uma merda e por aí fora.

Tenho tido sorte em muita coisa, apesar de coisas menos boas acontecerem também, mas houve uma que me fez começar a pensar neste tipo de coisas.
O meu gato, o meu preto do coração, ficou doente. Hoje ainda não sabemos o que tem mas há uma de duas hipóteses, ou tem um tumor no cérebro ou epilepsia adquirida apesar de já ter quase 9 anos.
Este rapaz é preto, e há muita gente que não quer gatos pretos por "trazerem má sorte". Já teve problemas nos rins duas vezes, a despesa não foi pouca, e é sensível como o raio ao ponto de ficar deprimido se passa um dia inteiro sozinho.

Hoje de manhã, em vez de pensar que me aconteceu um azar muito grande, virei a coisa ao contrário e pensei que foi uma sorte este preto vir parar às minhas mãos.
São muitos os animais abandonados quando os donos descobrem que têm estas doenças, que para além de serem difíceis de lidar ainda implicam muitos gastos extra. Eu, que fico chorona quando leio casos de animais abandonados, e que por minha vontade trazia tudo para casa, tenho a sorte de poder tratar de um que iria ter o mesmo fim, nada feliz.

O meu preto vai ter de tomar medicação todos os dias, não vai poder ser deixado sozinho mais que 12 horas e vai ser muitas vezes uma preocupação e um aperto cá dentro sempre que tiver uma convulsão. Temos de assistir sem nada podermos fazer e ficar à espera que páre para lhe darmos os mimos do costume, que ele tão bem sabe agradecer. Mas na verdade este compromisso sempre existiu, ele nunca foi um acessório, nunca lhe dei mais atenção apenas quando me dava jeito e por isso não vai mudar muita coisa a partir de agora.

Vou arrebitar, sentir-me feliz por saber que melhores cuidados e mimos ele não poderia ter, e tentar habituar-me a tudo isto que é novo e custa um bocadinho grande. Também é preciso andar feliz e contente para trabalhar muito e conseguir  pagar exames e medicação. Como estou habituada a abdicar de umas coisas para ter outras o exercício não há-de ser difícil. Olhar para o que é pesado de uma forma leve, e encarar os azares como a maior sorte da vida, é o exercício desta semana e dos próximos meses. 

1 comentário: